Thursday, January 05, 2012

"O arrependimento eficaz"

Até que ponto nosso arrependimento pode ser eficaz num relacionamento?
No Direito, um típico exemplo de arrependimento eficaz dá-se quando a pessoa envenena a comida de alguém e este acaba por ingerir o alimento envenenado, mas antes que o veneno produza todos os seus efeitos devastadores, o autor do ato se arrepende e dá o antídoto que salvará a vítima.
Já numa relação, ao que tudo indica, este arrependimento poderá ser eficaz na medida que a nossa decisão, tomada de maneira precipitada, seja revista a tempo, para que a essência do casal, ora parcialmente perdida, não tenha sido por completo esquecida e onde, apesar de estarem momentaneamente separados, manteve-se respeito e zelo entre as partes.
É notório que sempre teremos controvérsias sobre esse assunto, até porque muitos acreditam que um casal não pode ter em seu histórico desentendimentos deste tipo, contudo, ao passar dos dias e até por experiências próprias e de terceiros, em certos momentos, é necessário uma lacuna desta proporção para enxergarmos o que realmente queremos, o que nos faz bem e que nos deixa, de fato, felizes.
Entendo que jamais poderemos mensurar o quão precipitados somos ou, pelo menos, estávamos na hora de uma decisão como está, bem como precisar o por quê desta atitude, porém sempre nos será facultado rever nossos atos no intuito de preservar e tentar manter algo que, de certa forma, ainda existe de maneira latente e que nos é tão especial.
Por tudo e em tudo, acabo acreditando que o arrependimento eficaz realmente exista para que possamos retificar uma ação levada a cabo por impulso, podendo-se assim reconstruir determinada coisa que em nosso subconsciente não queríamos e jamais deveríamos tê-la feito. E, tratando-se de um relacionamento, este tipo de arrependimento nos serve para admitir que no fundo do nosso coração não há espaço para uma decisão como esta e, intrinsecamente, jamais residiu neste ato a intenção de por fim em algo que é tão bonito e vital para os dois, ou, pelo menos, para o indivíduo que foi precipitado em sua atitude.

6 comments:

Leonardo said...

Respondendo a pergunta inicial do artigo: o arrependimento pode sim ser eficaz num relacionamento.
Tudo depende to tipo de sentimentos e experiências que o ato trouxe a quem está arrependido dele.
E há coisas que acontecem e são dolorosas num momento, mas depois deixam tudo melhor porque fazem as pessoas perceberem o que realmente importa. Algumas dúvidas somem com certos obstáculos...
Bons os insights do texto. Keep on writing.

Abraço

Rodrigo P. said...

Muito boa reflexão! Também tenho plena certeza que exista um meio de salvar um relacionamento, sendo o arrependimento uma destas formas.

Betinho Costa said...

Tava com saudades dos textos e reflexões de alto nível do meu amigo Negão e seus leitores. Gosto muito de aprender com os ditados populares que são sempre muito oportuno e de grande sabedoria: " errar é humano, repetir o erro é burrice" ou seja, que os arrependimentos sempre sejam de situações distintas e não das mesmas atitudes. Abração e até a próxima! Betinho

Tairone said...

Que atire a primeira pedra quem nunca se arrependeu de algo que fez na vida!

O que realmente importa é mensurar o tempo e o esforço prestado para a reestruturação de uma atitude precipitada.

Esse ato prova o quanto humilde somos e demonstra que passamos por cima do nosso brio, lutando para recuperar algo que no fundo não gostaríamos de ter feito.

Bom texto Niga!
Ab.

Dante said...

Quanto mais humildade tivermos perante nós mesmos e nossos atos, menores serão as chances de nos arrependermos de nossos atos. Mas, imperfeito que somos, estaremo sempre sujeitos a atitudes impensadas e cometermos as bobagens de sempre. Nesse momento, então, se continuaros domando nosso orgulho, certamente teremos a grande chance do "arrependimento eficaz".
Parabéns pelo artigo. Muito bom.

Leonardo Jorge Mendes said...

Comentários anônimos, no qual o autor não possui coragem de se identificar, não serão publicados.